Carl Court / Getty

454 passageiros de navios de cruzeiro testam positivo para o coronavírus

No domingo, os 3.700 passageiros e tripulantes do navio de cruzeiro Diamond Princess em quarentena foram evacuados de um porto em Yokohama, no Japão, e 454 deles deram positivo para o coronavírus. Mais de 300 passageiros são cidadãos dos EUA, 14 dos quais foram diagnosticados com a doença mortal. Todos os cidadãos dos EUA foram retirados do navio e levados de avião para a Base da Força Aérea de Lackland, no Texas, e a Base da Força Aérea de Travis, na Califórnia, em dois vôos fretados no início da segunda-feira. Segundo o Departamento de Estado, todos os passageiros americanos foram rastreados e aptos a voar e não apresentaram sinais de sintomas.

No entanto, as autoridades americanas perceberam que 14 dos passageiros dos EUA haviam sido testados dois a três dias antes da partida e tinham resultado positivo para o COVID-19, que é a doença que provém do coronavírus. O Departamento de Estado tomou a decisão de permitir que os 14 evacuados afetados continuassem a voar na aeronave com os passageiros não afetados a bordo, mas em uma área isolada. Esta decisão veio depois de conversar com autoridades de saúde.

Um porta-voz do Departamento de Estado disse: "Esses indivíduos foram transferidos da maneira mais rápida e segura para uma área de contenção especializada na aeronave de evacuação para isolá-los de acordo com os protocolos padrão".

Os afetados foram monitorados de perto pelas autoridades de saúde durante o voo. Após o desembarque, os passageiros diagnosticados devem ficar em quarentena por 14 dias.

Os passageiros dos EUA voltaram para casa depois de passar quase duas semanas no navio de cruzeiro em quarentena. A Diamond Princess está em confinamento desde 3 de fevereiro, depois que um homem diagnosticado com o coronavírus desembarcou no navio de cruzeiro de Hong Kong.

O Ministério da Saúde do Japão informou que dos 3.700 passageiros e tripulantes do navio, 1.700 pessoas foram testadas, das quais 454 foram positivas para a doença.

Há cidadãos da Austrália, Canadá, Hong Kong e Itália ainda esperando para serem evacuados do navio de cruzeiro.

O infame coronavírus matou quase 1.800 pessoas na China e tem 70.635 casos confirmados em todo o país.

O diretor-geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que há relatos do surto em 25 municípios com 694 casos, incluindo três mortes, excluindo a China.